Sobre Jerônimo Marana

Quero aproveitar esse espaço para contar a minha história e de como surgiu esse blog.

Tudo começou em 1997, quando comecei a praticar kung fu shaolin do norte aos 7 anos de idade.

Não... Na verdade começou antes. Bem antes. Desde que eu me conheço por gente eu gosto de artes marciais por influência do meu irmão, que já praticou kung fu e outras artes marciais.

Com o tempo comecei a aprender o wushu moderno e a competir tanto no taolu quanto no sanda. E aos 17 anos eu defendi a seleção brasileira de wushu pela primeira vez, sendo campeão sulamericano de sanda.

No sanda eu fui longe, tanto em distância quanto em resultados.

Campeão Paulista e Brasileiro (não lembro quantas vezes, não foram poucas)...

Campeão Sulamericano duas vezes, vice outras duas...

Medalha de bronze no Mundial de 2009 no Canadá. 5° lugar Mundial na Turquia em 2011...

3° lugar no SportAccord Combat Games em 2010 na China...

Mas sempre senti que alguma coisa faltava... Ainda não era suficiente...

Decidi ir mais para dentro. Comecei a praticar tai chi chuan estilo yang. Mas ainda não estava satisfeito.

Sempre senti que eu ainda não tinha aprendido o que eu realmente queria aprender...

Naquela época eu estava estudando Educação Física na UNICAMP, onde me formei Bacharel e Licenciado. Foi lá que em 2010 conheci o mestre Cai Wen Yu e o seu chi kung autêntico, o lao qigong. Foi aí que descobri o que eu queria...

Como os chineses treinavam antigamente!

Com o mestre Cai comecei a treinar o yiquan, arte marcial principal dentro do seu sistema de chi kung.

Agora tudo começava a fazer sentido!

Mas ao mesmo tempo, o que havia aprendido antes deixava de fazer sentido...

Abandonei o shaolin do norte, o sanda e qualquer ideia que eu tinha de arte marcial antes...

Não foi fácil, doeu e eu sofri vendo a minha visão de arte marcial e minha autoimagem se desmoronando...

Aos poucos tudo foi ficando mais claro e a divisão que eu via entre as artes marciais foi desaparecendo.

Cada vez mais o combate com armas começou a despertar a minha atenção. Então resolvi buscar e estudar os antigos manuais militares chineses. Comecei a estudar vários deles, como A Arte da Lança de Emei e o Dandao Faxuan.

Mais tarde conheci um aluno do mestre Cai chamado Luiz Miele, que era mestre de artes marciais coreanas. Então ele se tornou o meu professor de hapkido, hankido e hangumdo. Nesse momento despertou o meu interesse também pelas artes marciais coreanas e o meu interesse pelas artes militares me levou a conhecer o Muye Dobo Tongji.

Mas aprender tudo isso me levou a uma pergunta...

Como ensinar isso da forma mais fácil possível?

Isso que eu vinha (e venho) aprendendo não é fácil, as pessoas sentem como algo muito distante...

Mas não é!

Era preciso aproximar as pessoas dessa visão de artes marciais. É preciso tornar as artes marciais mais ACESSÍVEIS.

Era preciso escrever um blog para comunicar ao público as minhas ideias sobre artes marciais. Mais do que isso, era preciso criar um canal no youtube para falar com as pessoas de forma mais pessoal.

Eu queria transformar a forma como as artes marciais são ensinadas.

Comecei pelas minhas aulas isso já em 2010. Havia quem tentasse me colocar para baixo dizendo que as minhas ideias não funcionam. Isso existe até hoje. Mas eu saí da zona de conforto e decidi romper de vez o gesso que envolve e imobiliza o ensino de artes marciais.

Depois de muitas tentativas, erros e acertos, eu encontrei a "fórmula" que funcionou nas minhas aulas.Mas só o blog e o youtube nunca seria suficiente para divulgar essa ideia para mais pessoas. Então, com muito trabalho eu venho desenvolvendo o portal que eu chamo de Universidade da Espada.

A Universidade da Espada é um projeto que foi criado pensando em muitas pessoas que, como aconteceu comigo no passado, ainda não encontraram o que buscam nas artes marciais. Pessoas talentosas que querem treinar de forma inteligente e não querem desperdiçar anos de treino sem aprender o que querem.

Se você se sente dessa forma e acha que alguma coisa está faltando ou se você quer inovar e melhorar a qualidade dos seus treinos ou aulas, eu posso te ajudar. Eu só preciso que você tenha a mente aberta para ouvir ideias novas. Então, se você tem esse perfil, eu quero te fazer um convite. Clique aqui e conheça o que eu venho desenvolvendo, pensando em pessoas como você e eu, que fazem das artes marciais uma parte da sua vida.

Aproveite e me siga nas redes sociais. Eu estou sempre publicando as minhas ideias e dicas para ajudar a melhorar os treinos e aulas dos praticantes e professores de artes marciais: